Voltar à página de entradaInício

Adicionar aos FavoritosFavoritos

Subscrever a Newsletter da FNAMNewsletter

Enviar uma mensagem à FNAMCorreio

 Pesquisar na página da FNAMPesquisar Sindicalizar
 

Text Box: SINDICATO DOS MÉDICOS DA ZONA SUL

 

 SERVIÇO JURÍDICO

 

PARECER N.º 09/2007 (JM)

 

CARREIRA MÉDICA HOSPITALAR – PRESTAÇÃO DE TRABALHO AO DOMINGO, EM DIAS DE DESCANSO SEMANAL E EM DIAS FERIADOS – DESCANSO COMPENSATÓRIO

 

I. A QUESTÃO

 

                1. Foi-nos colocada a questão de saber se o dia de descanso previsto no n.º 1 do artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março (DL n.º 62/79)[1], implica a sua compensação em tempo de trabalho no decurso da semana do respectivo gozo, por forma a que o médico cumpra, na íntegra, a duração normal de trabalho a que está sujeito (35 ou 42 horas semanais).

 

II. DISCUSSÃO

 

                2. Não cremos que a resposta ofereça, no plano jurídico, dificuldades de maior.

 

                Na verdade,

 

                3. Dispõe o n.º 1 do artigo 13.º do DL n.º 62/79:

 

«A prestação de trabalho em domingos, dias feriados e dias de descanso semanal dá direito a um dia de descanso dentro dos oitos dias seguintes[2]

 

               4. A razão de ser da norma é mais do que evidente: trata-se de compensar o médico com um dia de descanso em razão dele, excepcionalmente, ter trabalhado em dia que, em princípio e por via de regra, não estava obrigado a trabalhar, por se tratar, precisamente, de um dia legalmente reservado ao descanso semanal (sábado e domingo) ou de um dia feriado.

 

               5. É por isso que falamos, a tal respeito, de descanso compensatório ou, mais vulgarmente, de “folga”.

               6. Compensar o gozo dessa “folga”, já de si compensatória, com uma prestação de trabalho adicional, no decurso da semana em que o respectivo direito foi exercido, em ordem a assegurar o cumprimento integral da duração normal de trabalho aplicável ao médico (35 ou 42 horas), seria negar, na prática, a existência e gozo daquele direito subjectivo legalmente reconhecido, esvaziando-o de qualquer conteúdo e sentido útil.

 

               7. Seria, no fundo, suprimir o descanso compensatório legalmente prescrito, o qual, por natureza, pressupõe, dentro dos oito dias subsequentes à prestação de trabalho aos domingos, em dias de descanso semanal e em dias feriados, a redução de um dia de trabalho.

 

               8. Tal solução colide, pois, ostensivamente com a letra e espírito do n.º 1 do artigo 13.º do DL n.º 62/79, pelo que não pode, de todo, ser aceite, face aos princípios gerais consagrados no artigo 9.º do Código Civil (CC).

 

III. CONCLUSÕES

 

                A – O descanso compensatório previsto no n.º 1 do artigo 13.º do DL n.º 62/79 implica, necessariamente, a redução de um dia de trabalho nos oito dias subsequentes à prestação de trabalho aos domingos, em dias de descanso semanal e em dias feriados.

 

                B – O que veda, de todo em todo, qualquer compensação dessa “folga” com a prestação de trabalho necessária para que o médico perfaça, na semana do gozo do seu direito, a duração normal de trabalho a que está sujeito (35 ou 42 horas).

 

                Este é, salvo melhor juízo, o meu parecer.

 Lisboa, 6 de Julho de 2007

O Advogado,

Jorge Mata

                         


 

[1] Que aprovou o regime de trabalho do pessoal hospitalar (artigo 1.º, n.º 1).

[2] Itálico nosso.

 

 
 

Sul

Centro

Norte
 

ANUNCIO - INTERSISMET
"Empresa portuguesa de consultoria procura 1 Médico com experiência para assessoria a Director Clinico e 1 Administrador Hospitalar, com disponibilidade imediata,para prestar em Angola, num Hospital Provincial por um periodo minimo de 1 ano, renovável.".
Contactar: SM 213194240/ TM 964002444



Lançamento do livro "A Saúde, as Políticas e o Neoliberalismo", de Mário Jorge Neves, Presidente do SMZS e vice-Presidente da FNAM

22 de Fevereiro, 18 horas
Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos
Coimbra


SMZC lançou
"Ser Médico... Ser Solidário"
LIVRO DE CONTOS TORNA REALIDADE SONHO ANTIGO

Para adquirir  envie-nos um email
( Sócios: Grátis; Não-sócios
:15 euros)

 
 



Como as 5 grandes empresas de contabilidade influenciam e beneficiam com a política privatizadora
( Grã-Bretanha )

 

Federação Nacional dos Médicos
Rua de Tomar, n.º 5-A - 3000-401 Coimbra
Tel: 239 827 737 - Mail:
fnam@fnam.pt